terça-feira, 31 de março de 2009

:: Ainda a toxo


Meninas, obrigada pela preocupação e desejos de melhoras. Tô ótima, é coisica de nada, mesmo.

Flávia perguntou se dói: não dói.

Riti perguntou como a gente sabe se pegou: exame de sangue. A grande dica, pelo que entendi, são gânglios. Muitos, milhares, principalmente na região do pescoço. Eles são pequenos e não doem, mas andam. O meu favorito apareceu ao lado daquela cartilagem triangular da orelha, bom no ponto onde a gente sente a articulação do maxilar - o que me fez pensar em mordida errada, inflamação da tal articulação, evitar alimentos duros, blá-blá-blá. Depois ele desceu um pouco e veio parar ali no ponto onde o lóbulo cola no rosto, onde reside até hoje. Passo a mão e sinto o carocinho, do tamanho de uma ervilha. Pelo que entendi, quando ele sumir é sinal de que a doença foi embora, ou quase. 
Outros sintomas: sensação de gripe, febre baixa, inflamaçãozinha de garganta. Na verdade, tudo depende do seu sistema imunológico: quem tá nos trinques nem percebe que tá doente. Quem tá com a resistência meio capenga (me! me! me!) fica com essa gripezinha que não passa. Pode dar um treco no olho também, mas sobre isso não tenho detalhes.

Tatá perguntou quando posso embarrigar de novo: quando passar. Vou repetir o exame em uns 2 meses e, se der negativo, tô liberada. E imunizada, o que é importante: o exame também mostra se a gente já tem os anticorpos pra doença. O bom é que é uma coisa a menos pra eu me preocupar durante a próxima gravidez (sobra mais espaço pra eu me preocupar com o trampo que vai dar o número dois, né Rebeca?).

E Riti, de novo (ela pode porque tem uma guriazinha dentro da barriga, então vale por duas), insinuou CRUDELISSIMAMENTE que eu já posso trocar meu cães queridos por gatos. Papelão, Dona Riti. Sou super do time dos cachorros. Nunca trocaria por felinos meus labradores lambões. Até acho chique e andei cultivando a idéia de ter uma gata - não substituindo, mas fazendo companhia aos cães, tipo um projeto paralelo - só pra dar um nome afrancesado e aprender com ela a ser elegante. Mas aí arrumei um marido alérgico e abandonei esse plano. Mas Ri, tive uma idéia: quando, um dia, a senhora tiver a sua própria toxoplasmose (porque, sério, fora da gravidez é super negócio: você se protege pras barrigadas futures e ainda ganha paparicos das cyberamigas) eu me dou de presente uma gata, batizo de Adèle e deixo ela morar com você! Tá? 

ATUALIZADO:

Gente gente, tudo mentira! Em geral é muito simples, mas pode dar umas complicações cabulosas também, como a Maíra conta nos comments. Ela teve o tal problema no olho e perdeu parte da visão.

(Quando perguntei sobre isso pra médica que me atendeu aqui em Paris, pois tinha visto essa questão do olho na internet, ela me disse que havia perigo para o feto ou para pessoas com sistema imunológico debilitado, mas que em adultos sadios não havia dano permanente e qualquer incômodo ocular passava junto com a doença. Por isso relaxei, e por isso o tom do post. Então tô retificando: não é ok, tá gente? Melhor evitar!)

Ah, e gatinhos são seguros também, é só tomar alguns cuidado. A Lilata explica melhor nos comments!

Beijos e valeu, meninas!



sexta-feira, 27 de março de 2009

:: Deu positivo!


Eu já andava desconfiada, aí fiz o exame de sangue essa semana e batata: positivo. Tô com toxoplasmose, gente!

Então ó: aquele papo do seu médico (Alô Dr. Roberto, aquele abraço! - fui dedurada e agora meu médico me lê, que coisa tensa...) de que se deve evitar carne mal passada na gravidez não é exagero. Os franceses comem carne quase crua e o índice de toxoplasmose aqui é bem alto. Pois eis-me aqui engrossando a estatística.

Não fui assim muuuito responsável em relação a isso na gravidez (Alô, Dr. Roberto, isso é uma mentirinha pra ficar mais dramático, tá?, fui uma grávida exemplar!), e agora vi que é sério, seríssimo. A doença normalmente não é grave, mas na gravidez é bem perigosa, e por conta dela vou ter que adiar o embarrigamento que estava programado. 

Agora tô aqui, meio de molho, com uma gripe fraca e um bocado de gânglios inchados em lugares improváveis. A recomendação: senta e espera passar. O lado bom é que é daquelas doenças que só se pega uma vez. Quando passar, tô imunizada pra sempre. 

- De modo que nas minhas próximas 14 gravidezes (existe esse plural hor-ro-ro-so?) vou chafurdar sem culpa em sashimi e quibe cru e steak tartar, certo? 

Nããão, pessoal! Não existirá mais o risco de toxoplasmose, mas ainda tem um monte de outras bactérias e parasitas e coisas malévolas de butuca, que a gente tira de letra mas que podem ser perigosas na gestação. Grávida precisa tomar cuidado, MESMO. Então atenção com carnes mal passadas, verduras mal lavadas, etc etc. Cuidem-se, minhas barrigudas queridas!


(E mãe: fora isso eu tô ótima, tá? Pode ficar sossegada!)

segunda-feira, 23 de março de 2009

:: Gisele Bündchen


Dos diários de gravidez - julho de 2007 (grávida de 7 para 8 meses)



:: Ando tendo dias de Gisele Bündchen.

 

Não que eu tenha entrado na lista dos 100 Mais Ricos da Forbes ou dos 50 Mais Sexies da People. Ainda não. Mas nos últimos dias adquiri a envergadura da Gisele!


A envergadura da coluna, pra ser mais exata.

 

Saca a famosa quebradinha da moça? Aquela gingada de quadril que ela sempre dá no final da passarela?

 

gingadinha sexy (com lordose)


Pois eu sei fazer igualzinho!


E com a vantagem do barrigão, que se prejeta pra frente criando uma nova curva e harmonizando as formas. Reparem como o conjunto fica mais equilibrado: 


 

Viram, viram?


Há! Toma, Bündchen!


sexta-feira, 20 de março de 2009

:: Cacao Atelier


Quando eu estava na sétima série, fiquei amiga da Camila.

Nem foi assim uma amizade superultrapróxima, confesso. Rolou porque a gente tinha uma paixão em comum: o clipe No Rain, do Blind Melon - aquele da gordinha vestida de abelha, lembram? Na época a Camila me escreveu um bilhete (ah, os bilhetes escritos no meio da aula, que saudade...). Todo desenhado, bem colorido, lindo. E eu fiquei toda envaidecida, porque vejam bem: a Camila era do time das populares, sabe? Linda e descolada e ainda por cima sabia desenhar, coisa que eu sempre admirei e até invejo um cadinho, porque até meus homens-palito são um desastre. Enfim, Camila - A Camila -  me escreveu um bilhete! Eu, tadinha, me senti quase popular por ter um bilhete dela, e o guardei cuidadosamente na lata de bilhetes que devo ter até hoje.

Bom, aí um bocado de anos se passou e a gente nunca mais se viu. Trocamos uns recados pelo orkut, sabemos um pouco o que uma e outra tem feito, mas nunca mais ouvimos Blind Melon (e alguém no planeta ainda ouve?) e nem trocamos bilhetes.

Pois não é que Camila virou artista plástica? Ela acabou de montar um atelier e trabalha com coisas de criança: decoração de quartos, enfeites de porta de maternidade, lembrancinhas, etc. Tudo a ver com esse blog, portanto. Barrigudas, se joguem! O link tá aqui e vai ficar lá embaixo, na seção "links úteis".

Aproveito pra mandar um beijo e boa sorte pra ela. E deixar um presentinho também, em nome dos velhos tempos...


(o vídeo deu pau, então vai o link mesmo)


(aos 13 anos eu queria casar com esse cara de óculos, e vocês?)


quinta-feira, 19 de março de 2009

:: Convocação (ou: creminho for free, quem quer?)


Atenção atenção: procura-se mãe que esteja amamentando pra testar e resenhar um produto contra as rachaduras no mamilo, tão comuns no começo da amamentação. De preferência em São Paulo ou ali por perto.

Alguém se habilita? 


quarta-feira, 18 de março de 2009

:: Malas


Depois de muitos dias lendo cardápios em alemão e tcheco (e ouvindo todas as piadinhas existentes com a palavra "tcheca", naturalmente), cá estou de volta a Paris, e finalmente me sentindo alfabetizada de novo. Aliás, eu subitamente virei PhD em francês, igualzinho ao que aconteceu com o inglês quando cheguei aqui: em 2 dias eu percebi que master domino o inglês, ha! Referência é tudo.


Daí que a Karenina pediu dicas para viagens com o pequenos. Sobre avião, já escrevi aqui. Viagem de carro a Ju comentou ali. Então vou falar da preparação para a viagem, que foi a parte que deu errado dessa vez. 

Pois bem: as malas. Sabe aquele truque clássico da Glória Kalil, separe as roupas para a mala, agora tire metade, e é isso o que você realmente vai usar? É um truque ótimo, mas pra bebês funciona diferente: separe as roupas para a mala, agora DOBRE a quantidade de roupas, é pelo menos isso que o seu bebê vai sujar

Especialmente se seu bebê, como Alice, está naquela fase de comer sozinho. Olha mamãe, sozinha! - e enfia a colher de ponta cabeça goela adentro. Um terror. Então leve todas as roupinhas que couberem na mala, e ainda conte com lavar uma ou outra na pia do hotel de vez em quando - a sorte é que miniroupas secam megarápido. 

Importante: na hora da refeição, tire casaquinhos e afins e deixe só a camisetinha de baixo, que há de ser mais baratinha e secar mas rápido, se for o caso. E aqueles babadores plásticos com porta-sujeira são ótimos: recolhem os restos tombados, são fáceis de limpar e a criançada ainda se apega a eles, ó que bonitinho:

video
Badô (ou: Das reações desproporcionais)


Sobre a mala da mãe: manja aquela calça super básica, begezinha, que vai com tudo? Vale por duas, né? Não amiga, vale por meia. Seu filho pode até comer sozinho, mas a sujeira é conjunta. E mesmo que ele não esteja nessa fase da independência porcalhona, melhor garantir. Porque veja bem: ele pode não comer sozinho, mas em algum momento vai carimbar sua calça com a boca suja de molho de tomate. Ou vai deitar a cabecinha no seu ombro e deixar um rastro de sopa/meleca/leitinho azedo. Ou vai ficar de pé no seu colo com as solas encardidas. Ou bater na sua mão e derrubar o jantar, ou entornar o suco, ou rolar na lama, fazer cocô explosivo, xixi pra cima, vomitinhos all over. As possibilidades são infinitas, de modo que de perto dele limpinha, limpinha você não sai. Há que se pensar nisso antes de fazer uma mala cheia de peças claras ou "coringas", dessas que vc pretende usar mil e uma vezes durante a viagem.

Então esquece Glorinha Kalil e todas as lições sobre "malas econômicas" que você ouviu por aí. Com criança é sempre melhor se precaver. Se joga no malão, se for possível - ou se joga numa capucha de plástico sempre que for se aproximar da fera, pra poupar suas roupas. E caso a mala precise ser econômica, o critério "suja menos" é tão importante quanto o critério "combina com mais".


Outra coisa importante: fazer as malas com antecedência, de preferência com a criaturinha dormindo. Porque, deus do céu, como eles atrapalham! O passatempo da Alice era enfiar no pescoço cada peça de roupa que eu guardava, ou abrir os zíperes das necessaires, ou levar os sapatos pra passear. Depois ficou chiliquenta e passou uma hora inteira aos berros tentando se agarrar na minha perna. Eu, atrasada, fintava a pobre e prosseguia na função, tentando ignorar o show - mas choro de bebê na orelha é uma coisa que abala o miolo mais interno da gente, impossível ignorar, de modo que o saldo, pra mim, foi: mau humor profundo, lágrimas silenciosas dentro do táxi e a mala mais idiota ever: esqueci pijama, camisetas e, céus!, calça jeans. Mala sem calça jeans, notem a gravidade da coisa.


Mas pelo menos eu lembrei de pegar aquela outra calça...


...aquela suuuper coringa...


...o que pode dar errado, afinal?


segunda-feira, 16 de março de 2009

:: Os selos, os agradecimentos, as teias de aranha...


Já faz mais de mil anos que recebi o primeiro, e aí vieram mais alguns, e eu fui registrando, adiando, me atrapalhando, esquecendo (guilty as charged!), e aí foi foi foi foi. 

Então tão aí, selinhos que me foram presenteados - vale dizer que enrubeci e fiquei contentona com cada um deles, viu meninas? Merci bien! (outra lição gratuita de francês pra vocês: nas aulas a gente aprende a agradecer merci beaucoup, mas aqui diz-se merci bien mesmo. Tipo, brigadão aí!)


PREMIO DARDOS




As simpáticas blogueiras que me indicaram foram:

Melinda, a querida da língua afiada, do namorado figuraça e minha futura personal-maquiator-express.   tpmatica.blogspot.com

Lilata, a dos gatos e do André Godolino  - que eu "vi nascer" na esfera bloguística, então imagina se não me apeguei horrores ao fofo?   lilataeosgatos.blogspot.com

Thais, a blogueira-novata mais profissa que existe, e mãe-de-primeira-viagem profissa também - nota-se pela sensibilidade dos textos.   aprendiz-de-mae.blogspot.com

Flávia, mãe do astronauta João, que vai receber visitinha logo mais em Barcelona (embora ainda não saiba, ha!)   joaoastronauta.blogspot.com

Chris, que temum filho engraçadíssimo e as melhores histórias sobre complexo de édipo ever!   coisademae.blog.br


(E... faltou alguém, acho. Céus! Se esqueci alguém não foi falta de consideração, foi falta de organização mesmo. Se eu um dia achar a indicação atualizo aqui, juro!)


Valeu, moças!

(Ah, tinha uma parada de publicar as regras, passar os selos adiante e tals, mas deixa pra lá, né?, que a essa altura todo mundo já recebeu e sabe tudo de cor...)


:: Lembrancinhas de viagem


Diz-se por aí que uma imagem vale por mil palavras, certo? 

Então tó: duas mil palavras - pra ninguém dizer que eu ando escrevendo pouco...





(Ela não tomou cerveja, ok, juizado de menores? Foi só uma piadinha dos primos...)

segunda-feira, 2 de março de 2009

:: Na estrada, de novo


Até o meio do ano vai ser assim: eu e Carlos fazemos uma malinha, pegamos a tralha toda da pequena e saímos por aí pra desbravar o velho mundo. Porque a idéia de vir passar esse ano em Paris tinha embutido o plano de rodar bastante pelas Oropa, mas só agora, nesse segundo semestre de vida parisiense, estamos conseguindo tempo pra isso.

Então a gente tá em Berlim agora, e vamos passar uns dias em Praga também. Tudo isso pra dizer (de novo) que posts, respostas e comentários vão rarear um pouco nos próximos 10 dias.

Beijos e até a volta!
Related Posts with Thumbnails