terça-feira, 14 de junho de 2011

:: Gente fina, elegante e sincera.



Daí que eu achava que mulheres eram seres de luz, né? É essa capacidade de gerar-parir-amamentar, sei lá, a gente se sente meio especial mesmo. Eu sempre acreditei muito na força das mulheres, uma força que vem também da delicadeza, desse instinto de cuidar, acolher, etc.

Então estava eu no ponto de ônibus naquela quinta-feira chuvosa. Rua alagada, pessoinhas amontoadas, vem uma viatura policial em alta velocidade e PÁ!, manda água suja nos transeuntes. Gritos, ofensas, aquele forrobodó. O ônibus encosta e entramos, eu e essa senhorinha muito alterada que banhou-se de lama comigo - vamos chamá-la de senhorinha 1. Ela subiu xingando e estacionou ao lado de outra senhorinha, a senhorinha 2, que viajava sentada no banco preferencial. Ficou de pé, pois todos os assentos estavam ocupados (era tipo a convenção anual dos velhinhos da Lapa, quem anda de ônibus por ali sabe como é...).

Eu passei a catraca e me sentei no fundão, enxugando as calças e avaliando o estrago. Ainda ouvia os resmungos da senhorinha 1 lá na frente. E ouvi quando a senhorinha 2 retrucou bem alto:

- Pra mim, quem não gosta de polícia é bandido.


Foi assim, gente. Tudo começou porque uma senhora ensopada xingou uma viatura e a outra tomou as dores dos puliça. Vai vendo.


Senhorinha 1 respondeu atravessado. Senhorinha 2 aumentou o tom. Eu enxugava as calças com lencinhos de papel, o cobrador meio-que-ria, os passageiros assistiam interessados.

Senhorinha 1 chamou a 2 de velha louca.

Senhorinha 2 respondeu: você é que é jovem, né?, com esse cabelo mal pintado! Sua galinha velha, sua fêa, horrorosa!

Senhorinha 1 baixou o nível e proferiu palavras de baixo calão.

Senhorinha 2 baixou mais ainda e disparou ofensas sobre supostos hábitos sexuais bizarros da senhorinha 1 envolvendo animais de grande porte, e inclusive botando o desavisado marido dela, que nem estava lá, no meio do rolo.

Risos gerais.

Senhorinha 1, meio acanhada com o tamanho do barraco, deu as costas.

Senhorinha 2 mandou ela ir tomar bem lá.

Senhorinha 1 se saiu com um infantil "vai você", e começou a descer do ônibus.

Senhorinha 2 correu, alcançou a 1 na escadinha e mandou-lhe uma guardachuvada bem dada na lomba.

Cobrador ria às gargalhadas. Passageiros faziam óóóóh! Eu quase chorava por falta de fé no ser humano.

Senhorinha 1 quis subir de volta pra revidar. Senhorinha 2 chamou pro pau. Ambas brandiram seus guarda-chuvas e fizeram juras de morte.

Motorista enfim fechou a porta do ônibus, deixando uma de cada lado, e deu a partida. Fim da contenda - senhorinha 2, louca de tudo, voltou para o seu lugar e ainda disse barbaridades em voz alta por uns cinco minutos.

Foi uma das cenas mais ridículas e deprimentes que eu já vi na vida. A senhorinha 2 era visivelmente maluca e descompensada, e a 1 burra o bastante pra comprar a briga. Mas o que me matou foi: todo mundo riu às pampas e ninguém fez nada. Não tinha um homem naquele ônibus pra evitar que duas senhoras de uns 60 anos se batessem com seus guarda-chuvas. Eu confesso que fiquei com medo de me meter no meio de duas doidas brigando, mas pô, olha o meu tamanho! Cadê cobrador e motorista numa hora dessas? Ônibus é terra sem lei, ninguém tem autoridade lá dentro, é isso mesmo? O cretino do cobrador ainda botava lenha, fazendo aqueles barulhos de menino de quinta série, "UUuuUUuuh..." a cada provocação de uma ou de outra. Ninguém nem aí, elas que se matassem - e, juro por deus, se a senhorinha 2 tivesse uma arma ali, naquela hora, ela teria dado um tiro na cara da outra, não tenho a menor dúvida.

E tudo isso, atenção, por causa de um xingamento a um carro de polícia que jogou água na galera da rua.

Veja bem, gente, vamos aprender a relativizar: eu também xinguei (baixinho porque eu sou fina) o carro, o que não quer dizer que eu realmente ache que aqueles policiais devam ir para a puta que os pariu, entende? É só um descarrego momentâneo, porque PORRA, putaqueopariu, fiquei ensopada, cacete! Pronto, desabafei, agora eu me enxugo e acabou-se, nada pessoal, espero que a polícia continue fazendo o ótimo trabalho que lhe é característico (claro que eu não disse nada disso dentro do ônibus porque senão tomava uma guardachuvada nas fuças também).

Enfim, o fato é que por uma bestice como essa, duas mulheres - seres de luz, de delicadeza e de amor - quase se mataram dentro de um ônibus cheio e ninguém tentou impedir. O ser humano é evoluído ou não é?

Agora uma pergunta: fossem dois homens brigando com a mesma violência, alguém estaria rindo ou a turma toda do busão desceria voando no ponto seguinte? Fica a dúvida.

38 comentários:

  1. Essa é a "Mariana Fernanda Veríssimo"... Ha, ha, ha. Não ficas nada a dever ao cronista.

    ResponderExcluir
  2. deus do céu e nossa senhora das velhinhas, onde é que vamos parar?

    cer-te-za que todos desceriam correndo se fossem dois homens! não sei doi velhos homens, mas dois jovens homens, cer-te-za!

    somos mesmo evoluídos, não é mesmo? não te dá um orgulhinho? afff #fail total

    minha pequenina toda alegre por ter se dado conta desse mundo, que não faz mais parte do útero e tal... e olha só o mundo que a espera! injusto isso!

    (filha, volta pra barriga da mãe, vai!?)

    saudade de vc, mulher trabalhadeira!

    (e ok, eita lugar pra ter velho-idoso como na lapa e redondezas. experimente ir ao banco no quinto dia útil pra ver a fila preferência que delícia!)

    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. ai céus como eu ri lendo isso

    hahahahah

    obrigada

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Mari, que deprê, hein?! Pelas 2 senhorinhas, pela situação, pela falta de atitude das pessoas... A impressão que eu tenho é que as pessoas ficam só esperando formar o circo para jogar a lona, sabe?
    Bjos,
    Camila
    www.mamaetaocupada.com.br

    ResponderExcluir
  5. Gente, que isso???
    Estou pasmada com o que acabou de contar!!!!
    Também estou espantada com tamanha brutalidade das duas velhinhas, e pior, indiferença das pessoas do ônibus!

    É muitaa coisa louca que acontece, não é??

    ResponderExcluir
  6. Bem, hoje comentei lá no blog da Mari-viciada-em-colo que um prof. do mestrado dizia que os maus prevalescem e que eu estava começando a acreditar nisso...

    Começo a pensar que aquela propaganda da Coca-Cola seria mais real se fosse "pra cada pessoa assassinada, 10 ficam olhando!"

    Cansei de brincar disso, sabe?!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. Mas a gente morre e nao ve tudo! Ja dizia meu bom vo!

    ResponderExcluir
  9. Olha, juro que com sua narrativa maravilhosamente bem humorada e (d)escrita eu tb ri!!!

    Mas a verdade eh q vc tem mega razao em ficar indignada com o fato de ninguem ter feito nada e com certeza se a senhorinha 2 tivesse uma arma teria atirado, ja que no Brasil isso esta tao frequente ne.

    A situacao fica ainda mais "tragicomedia" visto serem duas idosas, onde se imagina existir um minimo de experiencia e bom senso!

    Mas vc esta de parabens por escrever tao gostosamente bem!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Tem hora que eu não acredito que tô vivendo nesse planeta!
    Beijo solidário!
    Dani

    ResponderExcluir
  11. É, contando assim é até engraçado mas na verdade a situação é triste. Tá faltando educação, respeito , solidariedade e amor ao próximo, começando justamente com o motorista da viatura (que deveria proteger, não humilhar) que se tivesse um pingo de consideração pelo cidadão passaria bem devagar diante do ponto de ônibus lotado. É o que sempre faço porque respeito as pessoas e não gostaria que fizessem comigo.

    ResponderExcluir
  12. Morri de rir no começo e terminei chateada. Também fico desiludida do mundo quando vejo que o pessoal quer mais que o bicho pegue. Mas também morro de vergonha de mim, pq fico lá no cantinho angustiada com a cena, cheia de diálogos imaginários para acabar com a confusão, mas sem coragem de me meter.

    ResponderExcluir
  13. Eu como homem saio em defesa: elas poderiam se bater 35 minutos com o guarda-chuva uma na outra que não iam se machucar, ou seja, nada estava em risco que se justificasse uma intervenção. Além do mais, ia ser meio bizarro alguém separar uma briga de duas velhinhas, ninguém ia acreditar rsrsrsrs.
    Ah, se fossem dois homens todos estariam no chão com medo de dar tiro. Hoje em dia se meter em confusão alheia é um risco danado. Vai que uma das velhinhas tá armada? Que seu guarda-chuva é na verdade um fuzil camuflado? Maluco pode tudo...
    Agora, coincidentemente, falei sobre a diferença entre os homens e as mulheres, é claro que puxando a sardinha pro nosso lado.

    Abraços

    www.etudoaoquadrado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Ameiii seu canto moça, de verdade, to lendo tudo e rindo horrores, mas desse aqui não ri viu, não tenho muito estomago para brigas, especialmente de pessoinhas mais idosas, tenho medo delas, verdade, minha irmã trabalhou dois anos em banco e ajudava os prioritarios nos caixas eletronicos, ela tem horror a velhinhos ate hoje, ja ganhou de chute na canela ate bombons, mas chutes eram mais frequentes.

    NO mais, beijos
    Noh

    ResponderExcluir
  15. é deprimente mesmo.
    mas o povo quer ver sangue (dos outros)e por isso incentivam...
    se ameaçar ser o próprio sangue, espanam e saem correndo.
    feio

    ResponderExcluir
  16. kkkkkkkkkkkk
    Me matando de rir do lado de cá!!!
    Nem consigo comentar o final, parei na guardachuvada...
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Como assim onde estão os homens que não intervém? Seria uma falta de educação interferir assim na conversa dos mais velhos, e convenhamos, eu ri só de ler seu post, na hora deve ter sido engraçado pra caramba... um crime interromper.

    ResponderExcluir
  18. Acontece que homem ama ver duas mulheres brigando (cat fighter), não importa a idade, sabe se lá porque (eles sabem)... bjks, Sil

    ResponderExcluir
  19. Adorei seu blog!!! Sou mãe tbm! E solteira! Beijos! Sucesso!

    ResponderExcluir
  20. Apesar de ter rido muito com o seu texto (como sempre!), senti a mesma dorzinha que você. É muito triste saber que muita gente acha o sofrimento (porque acho que ninguém que briga com outra pessoa esteja feliz e se divertindo) alheio interessante ou até mesmo divertido.
    Às vezes bate um desânimo saber que as mães (e espero me enquadrar em breve nesta categoria) têm um trabalho de formiguinha para fazer, mas aí a gente encontra pessoas que pensam como nós e descobrimos que não estamos tão sozinhas.
    =)
    Beijos,
    Ártemis

    ResponderExcluir
  21. Nossa!!Seria CÔMICO SE NÃO FOSSE TRÁGICO! Que cena! Há algum tempo cheguei a conclusão de que algumas pessoas idosas acham que podem tudo pq atingiram uma certa idade. Não sei o que se passa, será que dá pane no desconfiômetro??? E se tivessem crianças assistindo a cena? As vovós não deveriam dar o exemplo de bom comportamento? Não, não, não, a imagem de vovozinha tricotando já era. Sobre o comportamento indiferente daqueles que poderiam interferir, sem comentários. É por isso que o Brasil não vai prá frente, gente! (filha, volta pra barriga da mãe, vai!?)²
    Bjs e tava com saudade das suas palavras.

    ResponderExcluir
  22. morry de rir!!
    que me desculpem as senhorinhas, mas me acabei na gargalhada...
    beijos, flor!

    ResponderExcluir
  23. Mari, na hora eu não sei qual seria a minha reação.Mas, lendo vc aqui, eu me acabei de rir!kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  24. Perdoai as velhinhas, a que bateu e a que apanhou por ter praguejado.

    A primeira porque estava no dia de fúria dela e a seugunda porque não soube calar no momento oportuno...

    Certeza que o dia da segunda velhinha foi um horror e ela acabou descontado em outros a raiva que passou. Certeza também que a primeira ganhou uma úlcera a mais por ter tanto ódio em seu coraçãozinho...

    Ai Má, tem dias que só dormindo mesmo viu!

    liga não, to me achando "gente especial na segunda gravidez" e hoje não estou com o mal bumor das velhas... beijo

    ResponderExcluir
  25. Desculpa, mas o problema das pessoas é o "deixa disso". Todos SEMPRE dão uma desculpa para não intervir. De uma certa forma, você também foi conivente...não fique chateada, só pare e repense...eu sou meio "barraqueira", dizem meus amigos, mas sempre luto pelos meus direitos...acho que nessa hora eu teria intervido sim...sei lá...sou eu. Pego e faço, mesmo sob veementes protestos...

    ResponderExcluir
  26. Minha primeira vez aqui, e adorei!!
    Quero muito ler mais algumas postagens suas e farei assim que tiver tempo.

    Quanto a essa, confesso que ri muito. Claro que frente a reflexão que vc sugere é motivo para nos entristecermos... é o mundo esta realmente caótico.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  27. Que absurdo,falta de respeito por elas e pelo os outros.

    ResponderExcluir
  28. Hoje de manhã lembrei do seu post. Precisei ir de ônibus ao trabalho e como estava TUDO PARADO o ônibus que peguei precisou abrir a porta na fila dupla para entrarmos...Uma senhorinha já entrou brigando com o motorista sobre ele ter aberto a porta fora do ponto, na maior grosseria.
    O motorista (até que educadamente) respondeu: "Eu não a obriguei a entrar agora, se a senhora quisesse poderia esperar na calçada mais a frente que eu a apanhava"
    A velhinha reclamou mais alguma coisa que não ouvi e fomos assim pelo caminho...

    ResponderExcluir
  29. Seria engraçado se não fosse trágico

    ResponderExcluir
  30. Não acredito que nnao tinha visto este post antes! Ele é ótemo! Vou mandar já para uma amiga que ta mau humorada, com erteza ela vai rir na hora!!

    have a nice week!

    beijos

    ResponderExcluir
  31. e eu pensando que sou esquentada...

    ResponderExcluir
  32. Pois é, que medo de pegar onibus hoje em dia...acho que as pessoas de uma maneira geral estão se perdendo, cada vez mais estressadas e qualquer oportunidade de uma briguinha de guarda chuvas é um anti - estresse perfeito!
    O dia a dia está corrido até para velhinhas, que deveriam estar curtindo a melhor idade, e provavelmente tem muitas contas a pagar e nada a receber...bom, eu tenho uma tendência a achar justificativas boazinhas para pessoas malzinhas...
    Queri, há um tempo atrás, te convidei para conhecer meu blog, que recem tinha feito, hoje, um pouco mais recheado de textos, causos, e afins, te convido novamente a aparecer por lá, e participar de um sorteio legalzinho que está rolando, tenho certeza que a Alice ou o Luquinhas vão amar!
    Beijos
    Angi

    ResponderExcluir
  33. senhorinhas? onde?..kkkk menina tô pra te dizer a tempos que adorei sua descrição do perfil...mto engraçado!

    ResponderExcluir
  34. Nossa... que absurdo!!
    Pior que basta estar vivo pra ver atrocidades assim todos os dias.
    Não tem um dia que eu não fique chocada com o ser humano... basta estar no trânsito. É triste de ver.
    Beijos
    Fabiana
    http://2-ao-quadrado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  35. hahaha morri de rir! Mto bom! Adoro seus posts :)

    ResponderExcluir
  36. O melhor post ever.. ficou muito engraçado! Tragicomedia da vida urbana, colega!

    ResponderExcluir
  37. Mari, vc quase matou uma grávida que de tanto rir, ficou sem ar! Deos! Sei que é mais trágico que cômico, mas infelizmente as pessoas se omitem pq é menos trabalhoso se preocupar com os outros! Duas vezes por mês eu pego ônibus pra ir à médica e é raro alguém ceder o preferencial pra mim, isso pq já estou de 7 meses! Amei o blog, bjo!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails