terça-feira, 15 de março de 2011

:: De onde viemos, para onde vamos?


Eu devo ser muito babaca mesmo.

Porque eu me acho super bem resolvida (cof cof). Eu sou moderna e despudorada. Eu topo falar de-tu-do. Eu sou assim, mais devassa que a Sandy, sabe? Com muito orgulho.

Aí minha filha me faz uma simples pergunta (pergunta esta que vem causando constrangimentos geração após geração) e eu, que me achava inabalável, quase caio pra trás de nervoso.

Veja bem. A gente é moderninho, a gente é descolado, a gente é super prafrentex (se é que alguém que diz "prafrentex" pode de fato o ser). Mas bota uma criancinha perguntando como um bebê foi parar dentro de uma barriga? A modernidade vai pelo ralo, a voz treme, as bochechas adquirem um bonito tom rosa carmim. Vira-se quase uma carmelita descalça, tamanho o pudor.

Eu ouvi a pergunta na semana passada. À queima-roupa, gente. Sem nenhuma preparação, nenhum aviso, sem um vinhozinho antes. Primeiro fiquei em choque com a pergunta em si, depois fiquei em choque com a minha reação desproporcional, e depois me dei conta que eu não tinha uma resposta preparada.

E não é que eu nunca tivesse pensado no assunto. Já pensei um bocado. Aliás, acho que eu penso nisso desde o desconcertante dia em que soube a resposta pra essa pergunta. Tô meio que esperando a bomba desde a gravidez e parto do Lucas - que Alice assistiu, de modo que já sabe por onde os bebês saem da barriga, o que é meio caminho andado, certo? Mas é aquela coisa: a gente sabe que um dia a pergunta vem, mas entra num processo louco de negação e pensa: Ok, um dia ela vai perguntar, mas não vai ser hoje. Agora podemos mudar de assunto e torcer pra ela ter essa curiosidade na presença de outra pessoa? Brigada.

Mas um dia, é hoje. Um dia a pergunta chega, e vai ser exatamente na nossa presença. "Estar pronto é tudo", já dizia o Shakespeare pela boca do Hamlet em mil seiscentos e bolinha (Hamlet era meio pinel mas tinha lá alguma sabedoria).

Hamlet que me desculpe, mas óbvio que eu não estava pronta.

Eu já tinha lido historinhas, beijado a testa, dado boa noite e ajeitado o lençol. Estava deitada do ladinho dela esperando o sono chegar (melhor do que esperar sentada...). 5 minutos de silêncio, e a pequena resolve, do nada, que chegou a hora de saber:

- Mamãe, como o Lu entrou na sua barriga?

E aí, mamãe moderna e descolada e que falatudosobresexo? Como você se sai dessa?


Opção a)
A verdade, somente a verdade, nada mais que a verdade. E de forma bem gráfica, porque no nervoso da coisa você perde a mão e não poupa a criança de n-e-n-h-u-m detalhe. Ela termina o papo mais informada do que Marta Suplicy, Sue Johanson e Jairo Bouer juntos, e um tantinho traumatizada.

Opção b)
Meias verdades. Respostas vagas envolvendo sementinhas e abraço apertados, mais a torcida louca para ela não se aprofundar nas dúvidas porque senão, amiga, você tá numa sinuca.

Opção c)
Papinho picareta. Cegonha, Deus, Bebelândia e afins. O objetivo é ganhar alguns anos para elaborar uma resposta mais convincente.

Opção d)
Você se faz de sonsa. Ó, não sei, pergunta para a sua professora e depois me conta?

Opção e)
Fuga. Você abdica de toda e qualquer dignidade e simula um desmaio.


Pois eu recorri à ridícula, vergonhosa e desprovida de qualquer decência opção e.

Ou quase. Na verdade, eu fingi que estava dormindo.

Porque né, deitada em silêncio há 5 minutos, quem iria perder essa oportunidade? Calei-me e esperei ela desistir (o que levou um certo tempo e me fez mergulhar fundo na mentira e resmungar com a voz sonolenta, filha, tô dormindo, amanhã a gente conversa...).

Amanhã ela esqueceu, ufa. Mas vai se lembrar da dúvida a qualquer momento. Quando eu menos esperar, pimba! Lá vem.

Estar pronto é tudo.

Parece fácil, né?

É que Hamlet não tinha filhos.

71 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Nossa!!! Perguntas assim são quase como a 'morte'... ninguém nunca está preparado para enfrentar! kkkk
    Você se SAIU muito bem! Literalmente, né?!
    Parabéns!
    E boa sorte da próxima vez!
    Hahaha.

    Bjocas!

    Line Sena
    http://mamae-moderna.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. É realmente, é uma missão muito dificil elaborar uma explicação que não seja muito aprofundada e ao mesmo tempo não despertar mais curiosidade ainda.

    Boa Sorte!


    quasemaepai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Putz!! Vc se saiu bem fingindo q tava dormindo, afinal era esse o contexto da situação, né?! Tbem não tô pronta, não.... Se rolar essa pergunta aqui em casa, espero q seja na hora do soninho e vou te imitar, pode?? Vamos tomar um acfezinho, comer um docinho e elaborar uma resposta beeeem legal para essas menininhas curiosas, hein?! Hein?!
    Super bjo,
    Camila
    www.mamaetaocupada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Ahaha, The importance of being prepared, já dizia Oscar Wilde, que também não teve filhos (nem disse isso assim, mas eu adapatei o título, pode ser?).
    Eu também não estou. E a Ciça vem falando cada vez mais no assunto. E ri muito quando lembra que os bebês saem pela 'perereca' (termo que ela aprendeu na escola, aliás, porque eu ensinei outro). Mas ainda não perguntou como entram e eu estava adiando até pensar no assunto, mas vou já fazer o dever de casa com o Bernardo para (iventarmos? criarmos?) elaborarmos uma resposta.

    ResponderExcluir
  6. God, mas já? E eu, tolinha, achava que crianças só perguntavam isso lá pelos 7 anos. Eu iria pela meia verdade. Ah, o papai e a mamãe se amam muito e deram um beijo e, plim, o Lucas apareceu lá dentro da barriga. Nossa, agora que escrevi, isso soa bem bobo. Pensando bem acho que não vai colar...

    ResponderExcluir
  7. To be or not to be
    Courageous
    That is the question.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. *agora postado sem errinhos feios de digitação.
    ========================
    Putz.
    Caramba...nunca tinha pensado nisso. Na verdade, lembrando da minha experiência em criança, minha mãe colocou um livro com uns bonecos medonhos nas minhas mãos bem cedo. Como aprendi a ler em casa, bem antes de ir para a escola, reza a lenda que o tal livro fora comprado para um tempo depois mas eu achei e acabei enchendo tanto o saco que acabei ganhando. Aqui em casa, comigo, rolou a opção "A" (rsrsrsrs). Ah, e o nome do livro era "De onde viemos". Mas sei lá, acho que o legal é ficar o mais próximo da verdade possível, sem detalhes. Até pq esse papo de cegonha...ai ai.
    Boa sorte.
    Bjão

    ResponderExcluir
  10. Que bonitinho esse Hamlet misterioso aí em cima, aposto que é o meu marido.
    Ou o Jude Law, já pensou? (/piada interna provocativa)

    ResponderExcluir
  11. Mariana,
    Existem vários livrinhos ótimos que podem te ajudar! :) Tem um muito antigo (eu lembro que minha mãe me mostrou esse quando eu era pequena!http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?isbn=8503005018&sid=96219215213315793092676539 ele ainda existe e é super fofo hahaha :) e olha que eu tenho 30 anos!) Corre pra livraria! :)
    beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por ter deixado essa dica aqui... peguei emprestada, rsrsrs, pq a qualquer momento vou passar por isso e esse livrinho vai ajudar muito.
      Obrigada,
      obrigada,
      obrigada.

      Excluir
  12. Só uma observação: fui pesquisar e vi que existem vários livrinhos com esse mesmo nome. (tem um alemão medonho!) O que estou falando tem uma ilustração bem bacana (feita com recortes de papel) e fala da reprodução de uma forma bacana e natural (fala de alguns animais até chegar nos seres humanos) é bem bonitinho e ótimo para os pequenos!

    ResponderExcluir
  13. Aqui a gente se saiu mais ou menos com a opção b, das meia verdades. Falamos que papai coloca uma sementinha na barriga da mamãe. Como o guri só tem dois anos, AINDA não peguntou como ele fez isso.
    Mas daí papai estava comendo melancia, ARthur pega uma semente, ergue minha blusa e tenta enfiar a semente no meu umbigo.
    Rá! Já temos uma pista de como ele acha que o negócio acontece...

    Humm, acho que sou um mau exemplo...

    Bjs

    ResponderExcluir
  14. ai ai ai... essa história da cegonha, da sementinha e tudo mais é uma mentira de perna curtíssima, o que não a torna tentadoramente mais bonitinha e fácil... Putz com meu irmão mais novo foi super engraçado, porque aos 10 anos ele queria que explicássemos o que era um orgasmo. rs. E ele ficava repetindo a palavra rindo sem saber do que se tratava, e toda família super vermelhinha de vergonha em meio as gargalhadas nervosas. Que situação!!

    ResponderExcluir
  15. HAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHHAHAHAAHAHA

    ResponderExcluir
  16. Olha, a gente tem mania de enxergar as coisas como adulta quando a criança quer uma resposta de acordo com a idade dela.

    Nessas, a gente responde MAIS do que a criança queria saber e ela morre de tééédio com a gente e depois esquece. E depois pergunta de novo, porque esqueceu e porque não tinha idade mesmo para absorver o que vc falou.

    Eu optei por sempre falar a verdade, mas os detalhes só vieram com a repetição e a idade. Quando Gabriel perguntou como nascem os bebês, eu disse que o papai tem uma sementinha chamada espermatozóide que ele coloca dentro da barriga da mamãe e lá ela junta com a sementinha da mamãe, chamada óvulo, para formar o bebê. Isso bastou da primeira vez.

    Quando ele perguntou onde o papai botou a sementinha, eu disse que no mesmo local por onde saem os bebês, sem entrar em detalhes. E isso bastou.

    Quando ele ficou mais velho e perguntou de novo, aí eu expliquei com mais detalhes, que a sementinha do papai saía do pênis e era colocada na vagina da mamãe, que se não tivesse um óvulo na barriga da mamãe não tinha bebê, etc.

    "Porque as pessoas fazem sexo" eu respondi dizendo que é gostoso e que é uma forma de demonstrar amor, mas que adultos só fazem isso com adultos (sim, ele perguntou se crianças faziam sexo) e que o corpo de uma criança não está pronto ainda.

    E por aí vai... A gente não tem UMA conversa sobre sexo com os filhos, a gente tem uma diferente a cada idade.

    Aí você vai achar que eu sou super bem resolvida, moderna, etc. e eu te digo que EU fiquei vermelha, gaguejei e desconversei quando ele me perguntou à queima-roupa um dia em que estava passando uma reportagem no Fantástico sobre Aids: "mamãe, o que é sexo oral? E anal?"

    O engraçado é que ele hoje tem 12 anos, eu estou grávida e por esses dias tive de explicar de novo como nascem os bebês, porque ele esqueceu/queria ouvir de novo. Aí eu peguei um livro de biologia e mostrei ilustrações do útero, ensinei sobre ovário, trompa de falópio, implantação etc. Da parte "sexo" ele sabe, agora o foco foi mais biologia mesmo: o que acontece quando se forma o ovo, como o bebê se desenvolve... E o que acontece no corpo da mãe quando o bebê nasce. Falamos sobre parto normal, cesariana... Ele riu de umas partes, achou outras nojentas... Enfim, as mesmas perguntas que eu respondo desde que ele perguntou a primeira vez, mas com outro nível de detalhes.

    Boa sorte da próxima vez, porque VAI haver uma próxima vez... e outra, e mais uma, e mais outra... ;)

    ResponderExcluir
  17. GE-NI-AL!!!! Rí horrores!!!!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Diz a lenda que quando as criancas perguntam essas coisas, principalmente nessa idade, elas não querem saber de uma resposta assim, tao complexa quanto a gente acha (tipo aquela piadinha velha, sabe? - Papai de onde eu vim? E o pai fica corado e rodeia e tal e depois o menino diz: Eh porque meu amiguinho novo veio de Minas Gerais, entao eu queria saber de onde eu vim...) - Mas vai lembrar disso na hora do sufoco!!

    Eu fui por outro lado... apelei pra ciencia, falei que tinha uma celula da mamae, e outra do papai que juntas, faziam o nene. Como conheço meu gado, eu sabia que Curiozack ia querer saber o que era uma celula e ai minha filha.. distracao garantida!

    Agora...Alice assistiu seu parto??Assim de camarote com vista anatomica?? Gente, que maximo! Preciso muito saber como foi isso! (So por pura curiosidade porque daqui nao sai mais ninguem...mas enfim...)


    beijos,
    da tb sempre despreparada,

    Keiko

    ResponderExcluir
  19. Lembro como minha mãe me contou, ela optou pela B!
    Eu nao faço a mais vaga idéia do que dizer qdo chegar a minha hora...

    ResponderExcluir
  20. Eu ganhei um livro horrivel com desenhos medonhos, jurei nunca fazer isso com minha filha.Até ler o seu post achava que estava super preparada pra perguntas, mas pensanso bem acho que não. Vou optar pelo meias verdades, acho que vai ser suficiente, mas se tiver chance de simular um soninho, desmaio ou ataque cardíaco assim o farei. bjs

    ResponderExcluir
  21. Muito legal o texto. Eu penso em dizer a verdade mas de uma forma amena, tipo, dizer que só adultos podem ter filhos, e que os filhos vão parar lá depois de os pais namorarem, se eu tiver coragem completo a frase com 'pelados' hauhauhauah

    ResponderExcluir
  22. hehehehehe!
    Penso em falar como a Lanika fez. A verdade, mas só o básico e até o limite da pergunta.
    Recentemente tive que responder a pergunta sobre como o bebê sai da barriga. Tipo você vai toda contente contar pro filho que tem um bebe na barriga da mamãe e na lata escuta:
    - como ele vai sair?
    :o
    - lembra que as meninas não tem pinto? É por que elas tem um "buraquinho" por onde saem os bebês.
    - posso ver?
    - não
    voltou pra brincadeira.
    Beijos
    Neda

    ResponderExcluir
  23. O livro que a Mirella sugeriu é bem legal mesmo, eu tive ele no século passado... só que peguei um lápis de cor e vesti todos os personagens, inclusive os animais... vai entender!

    Mas, sério... não fuja, fale a coisa naturalmente, sem tabus, mas de forma que ela possa entender. Na verdade as crianças perdem o interesse nos pontos que não estão ainda prontas para entender. Então a franqueza (sem detalhes gráficos) funciona porque a criatura só registra o que consegue entender...
    Então é coisa na linha do "papai e mamãe se abraçam forte e o nenem entra na barriga da mamãe. Ele é MUITOOOO pequenininho, menor do que uma ponta de lápis de cor, então nem tem como ver. Aí ele fica lá dentro crescendo.
    E mais, se ela já viu saindo, sabe bem que deve ter entrado pela mesma porta, só não deve entender como foi que tocaram a campainha... o abraço apertado do papai resolverá toda a questão na cabeça dela!rs

    ResponderExcluir
  24. Muito, muito bom o seu texto.
    Realmente deve ser uma situação nem delicada. Não sei como me comportaria. É bom já ir bolando uma boa resposta para quando chegar esse momento, hehehehe. Beijos

    ResponderExcluir
  25. aaahhhh!!!! adorei!!!

    essa garota é mesmo esperta!!! rsrsrs

    olha florzinha!!! eu entendo sua situação , no seu lugar faria o mesmo rsrsrsr...

    não tenho filhos, mas sou professora de educação infantil, e alguns anjinhos ja me vieram com perguntas parecidas, ou contando que o papai e a mamãe fizeram uns barulhos de noite e eu fiquei sem reação , concordei com ele e mudei de assunto, porque não dava pra fingir que eu estava dormindo né? rsrsr

    bjus

    ResponderExcluir
  26. Amei esse post!

    E acho que faria a mesma coisa que você... Ou talvez aproveitaria a vantagem de ser mãe de menino e falaria pra ele perguntar pro pai... (mesmo sabendo que essa coisa de papo de homem é do século passado)

    beijo queridona

    ResponderExcluir
  27. Sensacional!!!
    adorei.

    dificil mesmo! vou comecar a me preparar desde já! kkkkk

    ResponderExcluir
  28. Hahaha. Passei por isso outro dia. É o último post do meu blog inclusive... mas a sorte foi que a pergunta foi como ele se forma!!!
    Como entram, acho que vou responder só quando ela tiver 18 anos, pode ser?
    hahaha
    bjos

    ResponderExcluir
  29. kkkkkkkk
    fó-deu!!!!
    na próxima voce desmaia de verdade... rs

    ResponderExcluir
  30. Por que tem que ser tão complicado, né? Na idade média, quando os filhos dormiam com os pais todos no mesmo cômodo e viam tudo, devia ser muito mais fácil.
    (plis não me leve a sério)

    ResponderExcluir
  31. Hahahahahaha, fingir que estava dormindo foi o máximo!!!

    ResponderExcluir
  32. Nossa eu também me considerava parte das prafrentex e quendo o dia chegou vi que estava totalmente enganada! Também levei um susto e não sabia qual das opções escolher. Acho que foi exatamente depois dessa pergunta que eu entendi aquilo que minha mãe sempre repetia: Você só vai entender quando for mãe! Boa sorte aí! beijos

    ResponderExcluir
  33. Post delicioso!
    Numa situação dessas, eu optaria pela opção c... acho que a picaretagem vai ser bem vinda se a minha filha me surpreender com essa pergunta muito novinha...
    Mas vou TENTAR me preparar para dar uma resposta mais real quando chegar a minha vez.

    ResponderExcluir
  34. Nossa, que situação! Não quero nem pensar qdo chegar a minha vez. Ainda mais que na minha casa nunca se falou sobre o assunto, eu nem me lembro como foi que eu descobri... Claro q não quero que com minha filha seja assim, então preciso começar a pensar a respeito.
    Abraços

    ResponderExcluir
  35. Hahahaha, eu penso nesse momento desde que descobri a gravidez! Não tenho nem idéia do que vou dizer, mas já salvei o seu post para o caso de uma consulta desesperada!

    E MORRI de rir com o "sabia que bumbum tbm chama cu". Sério.

    Bjo!

    ResponderExcluir
  36. eitcha, eu tb me achava A bem-resolvida das terras porteñas e logo marquei a opcao E. E sem balbuciar nada, acho que eu dormiria de roncar, hahahahaha.

    Isso me lembra qdo uma sobrinha do Maridón me perguntou (ela devia ter uns 7 anos) se eu e ele fazíamos sexo. Nao dava pra fingir um desmaio, entao falei em alto, bom e claro som: NAO!

    ai ai, preciso me preparar.

    beijos!

    ResponderExcluir
  37. Olá! Eu acabei de conhedcer seu blog e, claro, amei. Queria saber a idade da mocinha.. pq eu tenho uma de 2 anos e queria saber quando eu vou passar por esse apuro! :)

    ResponderExcluir
  38. Ah amei! olha só, como a idade da moça beira uns 3, sou pessima de memória...eu ia na opção C, sem medo, deixa a absoluta verdade pruns 9 ou 10 anos (aí será que não vai ser tarde?)ok eu ia na C

    Bj e sorte

    ResponderExcluir
  39. No susto eu respondi assim: pelas trompas de falópio! Tadinha, ela ficou enrolada anos... Hoje tem 11 e acho que sobreviveu bem...
    Tem um livro MARAVILHOSO da Babette Cole que chama "Minha mãe botou um ovo", é fofo, com uma ilustração linda e muito bem humorado, a criança se indentifica com humor. De qualquer maneira acho que aos 3 anos ela quer ouvir a história da sementinha bem simplificada, esse livro é para você ir se preparando.
    Boa sorte e adoro seu blog!
    beijjos
    kiki

    ResponderExcluir
  40. A minha começou a pensar no assunto quando viu os patinhos na lagoa, oh patinhos tarados viu, é toda hora correndo, pulando encima...mas quando minha filha assustada gritou "ele vai martar o outro pato", e eu disse que não era briga, mas namoro. Relacionar pato com gente foi mais rápido que terminar o sorvete.
    Aí já tava introduzido o assunto mesmo, foi só seguir, mas se vc me perguntar se ela faz a matemática de que tudo isso significa sexo, esse falado nos filmes, novelas, a sacanagem, pedofilia, etc. Aí eu duvido, viu. Pq depende da maturidade mesmo, não adiante se lançar a responder além da pergunta que só embola tudo.

    ResponderExcluir
  41. Mariana,

    Já tinha passado aqui algumas vezes, e tomei a liberdade de mencionar um post seu (com link) no meu blog. Eu já enfrentei a pergunta sobre a "saída", uma vez que o meu segundo filho está a caminho, mas isso é bem mais fácil...Agradeci aos céus de não ter tido que responder ainda sobre a "entrada".
    Dizem que há livros a respeito hoje em dia, o que deve vir a calhar pra uma oportunidade futura.
    No mais, entre meias verdades e um súbito desmaio, eu também ficaria com a última opção!!

    Adoro seu blog!!

    Bjos,

    Carol

    ResponderExcluir
  42. Mideuxxx (como diz a Ísis), não estou preparada para isso não, guria! Mas como vc está 1 ano na minha frente...depois me ensina???? rsrsrsrs
    Beijos,
    Nine

    ResponderExcluir
  43. Hum...acabei de ler os comentários (afinal, tb quero ser uma mamãe prafrentex, há) e lembrei que minha mãe comprou uma coleção (!) de livros que tinham uma capa cinza e o símbolo de feminino e masculino na frente e falavam desde a concepção até a infância, contextualizando tudo na vida de uma família. Eu lia tudo e achava tudo bem natural e não me lembro de ter perguntado para minha mãe COMO a minha irmã havia ido parar na barriga dela (mas talvez ela tenha comprado essa coleção depois da pergunta, vai saber).
    Só acho que não vale mentir nem falar enrolado. Um dia, eu tinha uns 11 ou 12 anos, perguntei para a minha mãe o que era "masturbação", hahahaha. Coitada da minha mãe...no meio do jantar...me lembro como se fosse hj...ela ficou roxa, engasgou e respondeu que masturbação era quando alguém sentia vontade de fazer alguma coisa mas não podia, então ela fazia outra para passar a vontade (em?). Pois é...faz sentido depois que se sabe realmente o que é, mas no dia além de não responder nada ainda me deu um nó na cabeça e eu vivia perguntando se isso ou aquilo era masturbação, hahahaha
    Sorte aí!
    Nine

    ResponderExcluir
  44. Comigo o papo da sementinha que o papai coloca na barriga da mamãe dando muito carinho pra ela funcionou... a dúvida foi se ela também ficaria grávida quando recebesse carinho. Como ela estava acostumada a ir ao banheiro comigo falei da menstruação e ponto. Achei que a história do repolhinho ou outras assim seriam muita cara de pau a minha! Até ela menstruar já vou poder falar melhor no assunto, se é que a escola ou as amigas mesmo não vão tratar de explicar antes! Agora é esperar a adolescência pra explicar que a irmã dela não é uma árvore!

    ResponderExcluir
  45. passando mal de rir com suas opções!!!!
    quando vc achar uma historia convicente, vc me ensina?rs

    ResponderExcluir
  46. Mari,
    apesar de nao ser mae e de ainda morrer de rir qdo lembro do meu pai primeiro fugindo da minha pergunta e depois respondendo todo vergonhoso, eu achei a resposta da Lanika a melhor. Veja bem, agora que faço um curso de pedagogia e que trabalho com a mulecada e que tenho aulas de psicologia infantil e sou amiga da Rebeca que é psicóloga, eu sei que criança nessa idade tem memória curta. Por isso a explicaçao tem que ser simples e satisfatória. Nao precisa de detalhes. A coida da sementinha do papai que vem parar na mamae é mais do que suficiente e nao é nenhuma mentira.
    No mais, vai fundo e boa sorte!
    Bjos

    ResponderExcluir
  47. Mari, vc é uma figurassa! .. me matei de rir desse post.
    Na minha opnião você mandou bem!Saida de mestre!

    Dia desses meu afilhado me fez uma pergunta parecida: "O que são gays?" - fiquei roxa.. não sabia o que responder. Aparentemente parece facil..".. ahh sua duas pessoas do mesmo sexo que namoram". .. e a cabeça dele como fica? - gaguejei horrores e disse que era melhor ele perguntar pra mãe dele.

    beijos mari ;*

    ResponderExcluir
  48. kkkkkk ok, mas e depois, já sabe qual será a resposta pra quando ela perguntar de novo??

    ResponderExcluir
  49. Mari, vou guardar essa sua saída de mestre com muito carinho, pra usar quando for necessário.
    Porque eu sozinha nunca teria uma ideia dessas, com certeza teria ido pelo meias-verdades, mas a sua é tão mais interessante...
    Beijos

    ResponderExcluir
  50. Olá Mari,
    Eu sou uma das "sempre leio nunca comento". Hehehe. Então, eu tenho uma menininha de três anos e um menininho de tres meses. Minha filha começou perguntando porque o irmão dela tinha uma "sacolinha" embaixo do pipi e ela não. E daí ferrou, porque acabamos chegando nessa de como os nenês entram na barriga. A saída ela já sabia também. Eu disse que bom, foi papai quem colocou a sementinha lá e que junto com a sementinha que já existia na minha barriga formou-se o irmão dela.Ela sossegou depois disso. Boa sorte aí!

    ResponderExcluir
  51. Saída pela tangente foi ótima! O ruim seria se ela acordasse, fosse pra escolinha e perguntassse pra outra pessoa...
    Minha mãe conta que certa vez quando era bem pequena (pequena o bastante pra não lembrar do fato) fiz essa pergunta. Ela me respondeu da maneura A, falando inclusive de sexo e foi conversar com a pedagoga da escola. A pedagoga disse que era pra responder só o que eu perguntasse (oi?) e nada muito profundo, ou sobre sexualidade.

    Acho que eu responderia com meias respostas ao inves de meias verdades. Ele foi parar lá pq a mamãe ficou grávida. Papai e mamãe decidiram ter mais um filho e a mamãe ficou grávida. Agora se as perguntas fossem ficando mais profundas, meu arsenal acabaria! rs

    beijos

    ResponderExcluir
  52. Vc é ma-ra-vi-lho-sa!!! Me acabei de rir!!! faria exatamente a mesma coisa!
    Um beijo
    PS: Eu sou a Valéria, 34, mãe de Davi,6 e Arthur quase 4.

    ResponderExcluir
  53. adorei! Não adianta, né? Crianças tem o dom de nos colocar em saias justas!
    Boa sorte e boa preparação!

    ResponderExcluir
  54. Mariana...posso dizer? Não vai ficar brava? Eu MORRI DE RIR KKKK!! E se estivesse no seu lugar, sabe que não sei o que teria feito tb? Nessas horas eu rezo pra Helô fazer essas perguntas pro pai rsrs!! Ou pelo menos quando estivermos juntos!! rs

    Muito boa a opção de perguntar pra professora...imagine a cara de caneca da coitada rs!
    Bjssss

    Thai
    www.desabafoepoesia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  55. Aí, ainda bem que a minha vez vai demorar um pouquinho, já que o Caio tem só 2 meses!! rs
    Bom, minha mãe a muitos anos atrás, achou melhor nos contar a verdade (objetivamente, sem muuuuitos detalhes) para que a gente não perguntasse para as amiguinhas e ficássemos cheias de caraminholas na cabeça.
    Acho que funcionou, afinal, era bem bacana saber a verdade e olhar com ar de superioridade para as meninas que contavam a história de abracinhos apertados. rs
    Bom sorte!!

    ResponderExcluir
  56. Eu sempre tento a escapada estrategica de toda boa psicologa (thank you Freud!) de sempre perguntar de volta, 80% dos casos dah certo, porque a gente fica falando sobre a teoria dele que no final eh o que ele tava afim mesmo, se não eu fico na opcao de falar verdades e o menos grafico possivel...
    Pelo menos ateh os cinco eu garanto que dah certo! (ou quase) ;)

    ResponderExcluir
  57. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Vai pensando na resposta porque ela vai fazer de novo!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  58. BOA NOITE!!! Meu nome é Adriana de Holanda Tavares, criei um blog junto com meu esposo para ajudar pessoas que precisam, maiores informações entra lá: chabebevirtual.blogspot.com precisamos que você contribua, com divulgação ou com um mimo... vai lá, como diz o poeta: FICA SEMPRE UM POUCO DE PERFUME NAS MÃOS DE QUEM OFERECE ROSAS, NAS MÃOS QUE SABEM SER GENEROSAS

    ResponderExcluir
  59. passando mal de rir hahahahaha
    e confesso que me surpreendi com a sua opção: fingir q tava dormindo foi a melhor de todas kkkkkkkkk
    sou a favor de uma verdade "floreada" rsrsrsrs
    mas é duro... meu enteado com 8 anos me perguntou o que era aquela "gosma" no filme Todo Mundo em Pânico! Eu prontamente respondi: ah... pergunta pro seu pai!!! kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  60. Fica tranquila que daqui a pouco alguém da escola conta pra ela. Te livra do constrangimento, mas sabe-se lá o que ela vai entender né. rs
    Ou mostra esse vídeo, mais simples impossível! http://vimeo.com/7496785

    ResponderExcluir
  61. Meu Deus! Que situação!!! kkkkk
    Se fosse antes de meu filho nascer, eu diria toda segura o que eu iria fazer, mas agora que eu sei que a teoria é bem diferente da prática, não tenho tanta propriedade para dizer como será.
    Acho que vou optar pela verdade, mas sem muitos detalhes...
    Mas definitivamente é melhor eles aprenderem em cas, pelo menos vc sabe o que está realmente sendo ensinado.
    eu disse acho!! Deus me ajude e me dê sabedoria!
    E que Ele te ajude tbm! rsrs

    ResponderExcluir
  62. Eu li sobre esse assunto esses dias... é complicado. A verdade é sempre melhor, mas... é complicado!!!
    E pior, se ela não se der por convencida, ela vai vir com mais e mais perguntas...

    Com certeza Hamlet não tinha filhos!!!

    Beijos
    Karin
    http://www.mamaeecia.com.br

    ResponderExcluir
  63. Adorei teu blog! Adorei! Mesmo depois de uma noite mal dormido, tô aqui lendo tudinho!
    Um beijo,
    Gabi
    minhas3filhaslindas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  64. kkkkkkkk
    Corei quando uma aluna adolescente me perguntou o que era orgasmo kkkk imagina se é meu filho!!

    Adorei o texto...

    bjs

    ResponderExcluir
  65. Adorei...

    Fiquei fã do seu bom papo, vou seguir o blog, quem sabe adquiro alguma experiência pra qndo minha hora chegar.

    Rs!

    Naiala Xavier

    ResponderExcluir
  66. ihhh eu já passei por isso... realmente foi um dos momentos mais marcantes da maternidade (até relatei essa experiência no meu blog: http://putaqpaliu.blogspot.com/2009/06/mamae-o-que-e-sexo.html )

    é, não tem como escapar!!

    bjokas

    ResponderExcluir
  67. kkkkkkkk Também nao tenho resposta. Se puder fingir que estou dormindo, fingirei. Se não puder, direi que os pais namoraram, aí nasceu um bebê. kkk

    ResponderExcluir
  68. Olha só, descobri seu blog hj, folheando a NMagazine online...

    Aproveito pra deixar minha dica:

    Minha mamis (que é psicóloga) diz que mesmo q os pqnos façam A pergunta, nem sempre estão prontos pra A resposta.

    Que o ideal é ir contando pelas beiradas, até que a criança se dê por satisfeita.
    Sem mentir, claro!

    Tipo: diga que é o amor entre mamãe e papai que vira bebê, eles ficam muito juntinhos, se beijam, se abraçam, e se misturam de tanto amor. E do amor surge um bebê na barriga da mamãe.

    De a entender que isso é tudio, pare por aí. Se for o suficiente para aquela criança naquele momento, ela vai se dar por satisfeita.

    A criança vai continuar aperguntar, porém, se estiver pronta pra ouvir mais.

    Vá aos poucos!
    É só curiosidade, e não precisa explicar tudinho por A + B desde o início não!!

    Espero ter ajudado!!

    Bjs, Thalita (mãe da Lilla)

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails